Best*

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Tudo o que eu sonhava

Tudo o que eu sonhava,

Era ter-te a meu lado,

Sem contemplações ou lágrimas que tu choravas,

E que eu nunca pensava em pode-las secar ao teu lado.

Tudo o que me pertencia queria te envolver,

Mesmo que o meu futuro fosse no fundo de um pesadelo,

Ou então talvez num pleno futuro de emprego,

Em que contigo contava para o futuro da minha vida desenvolver.

Lágrimas caídas ensopava-as no meu ombro,

Lágrimas que eu amparava de consolo,

Em que eu motivado ficava,

Por te ver chorar e que a mim ajuda me apresentavas!

A minha ideia de ajuda mudava,

Porque passava tempos a relembrar-me no que de mim pensavas,

Ao veres-me ao longe gozavas,

E ao pé de mim ignoravas!

Olhava ao meu redor,

E pensar no que eu sinto,

O que tu sentes por mim é muito mais que um mito

Em que falavas de mim como fosse só um espírito.

Pensamentos de ordinário em relação a ti devia ter,

Mas alguém como tu eu não consigo esquecer,

Ao verte sorrir, felicidade sentia eu,

Mesmo que tu não me visses como um deus!

Então dois trajectos tinha eu sem pedir marcados,

Dois lados tinham o destino marcado,

Um que adorava optar,

O outro que nem o diabo esperava aconselhar.

Então um relatório começava a preparar,

Não sabia por qual dos lados começar,

Não sabia então se o melhor era mesmo começar pelo bem ou pelo mal!

Acho que o mal é mesmo o melhor a optar,

Porque a dor no final com o melhor vai mesmo acabar,

Então o que o diabo guardava em segredo era mesmo acabar por esquece-la,

Porque outras na terra por mim estão a espera e se calhar mais um interior mais bela!

O mal é a maior dor,

Porque nem o Maior resistente consegue acabar com tal ardor,

Então mais vale aceitar tal represália,

Do que andar toda a vida a caminhar para acabar em sandália!

Essa relação a pior ementa do diabo,

Alimenta a sua fome com os nosso mau estado,

Então mais vale prosseguir sem dar nenhum sinal de desigualdade,

Do que ir dar lhe festas a pedir um pouco de liberdade.

Agora o lado preferido vou relatar,

Sem nenhum alvo ou alguém que me pudesse prejudicar,

E que com ela o resto dos dias iam ser maravilhosos,

E assim o carreiro era perfeito e ficávamos orgulhosos!

Até que em fim que os mapas elaborei,

Com trajectos e planos que eu forcei,

Para que no final de tudo saia como eu quero,

E que o final seja bonito e atraente como eu desejo!





Obrigado a pessoa que me deu a ideia, uma menina que foi especial!



tal como eres - el canto del loco