Best*

terça-feira, 22 de julho de 2008

Um passado que tento corrigir.

O meu passado,

Mais corrupto,

Vivi sei amor,

Nessa altura vivia sem dor.

Muitas anos,

Eu caminhei,

Conhecia alguns estranhos.

E em alguns me fixei.

Não aprendia nada,

Vivia,

E na minha vida nada mudava,

E nem uma ponta de amor sentia.

Decidi essa vida abandonar,

Porque muita gente magoei,

E sei que poucos ajudei,

E por isso aos mais fracos vou me juntar.

A minha vida,

Um juramento,

Não sei se aguento,

Mas tenho de conquistar a alegria.

Porque eu sempre vivi,

Algo que para muitos era o fim,

E por esses decidi,

Que todo o bem não era só para mim.

Adulto,

Amadureci,

Deixei de ser um puto,

E por isso cresci.

Compreendo,

E quero explicar,

Porque a minha vida sustento,

E não quero ninguém a me sustentar.

A minha alma,

Estava espantada,

Alguém como eu mudava,

E era a mim que eu falava.

Consegui dar paz,

A minha vida,

E a muitos ajudei,

E dei alegria.

Que eu tinha como divida,

E por isso comecei,

Como fosse um local de partida,

E ai iniciei.

Agora historias tenho para contar,

De muitos amigos conquistei,

E que com ele viverei,

E quando for velho me possa lembrar.

Amizades que nunca podem ser abandonadas,

Na minha vida,

Algumas ficaram marcadas,

E por elas vivia.

A minha força,

Neles algo se baseou,

Nem que tivesse na fossa,

Defende-los e um dia jurou.

A minha vida posso sacrificar,

Tento por tudo nas minhas costas,

É por eles que me quero dignificar,

Deixando o meu passado para trás.